Cancun e Playa del Carmen: Roteiro pelo paraíso caribenho no México

Mar de um azul quase neon, água claras e mornas, areia branquinha, coqueiros espalhados por todo canto. Imaginou o paraíso? E se você puder juntar isso à lugares históricos fantásticos, como uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno, centos de águas transparentes e Parques de diversões ao estilo Disney! O Caribe Mexicano tem tudo isso e mais um pouco!

Praia de Cancun com esse azul quase inacreditável

Então, bora para as dicas desse lugar fantástico que já estava na nossa “wishlist” há tempos!

Bom, em primeiro lugar é importante falar que nosso roteiro será um pouquinho diferente dos outros pois como visitamos a cidade durante a fase de reabertura na pandemia do coronavírus em 2021, vários passeios nós optamos por não fazer por conta do modelo de passeio, para evitar aglomerações. Essa viagem foi uma troca permitida pela companhia aérea da nossa viagem de 2020 que seria para Orlando e que precisávamos concluir em 2021. Então Cancun era um local que estava reaberto para Brasileiros, sem exigência de quarentena, com boa parte das atrações abertas por conta das taxas de contaminação consideradas como baixas pelo Governo Mexicano, por isso a nossa escolha. Então, vamos lá! 

  1. Preciso de passaporte e visto para ir para Cancun à passeio? Passaporte válido com pelo menos 6 meses para o vencimento – SIM. Visto, se for a turismo e por menos de 180 dias, Não. 

  2. Quantos dias para uma viagem a Cancun? Depende! Se quiser conhecer o básico: Pelo menos 1 parque, Playa del Carmen, cenotes, Chichen Itzá e curtir praia em Cancun, ou visitar alguma das ilhas, uns 8 dias, que foi o quanto nós ficamos, é suficiente. Mas se quiser conhecer todos os parques, ir a todas as ruínas e ainda desfrutar bastante tempo conhecendo todas as praias bote aí entre 10 ou 15, o que você puder dispor. 

     3. Melhor período para ir: O melhor é tentar pegar a Primavera e o Verão de lá pra curtir muitos dias quentes! Entre Agosto e Novembro tem o período de furacões, se for possível evitar é melhor!

    4. Escolha seu vôo: Pegamos um vôo com parada no Panamá pela Copa Airlines e foi bem tranquilo. Na ida pegamos o da madrugada pra chegar lá bem no horário de check-in e deu super certo. Mas só funciona pra quem consegue dormir pelo menos razoavelmente no vôo. No nosso tinham uns adolescentes incomodando um pouco, e alguns “roncadores”(hehe), mas as crianças estavam todas dormindo bem, então até que deu pra descansar. 

Sobre dicas de como escolher o melhor vôo para a sua viagem adquira nosso ebook “Passo a passo para planejar sua viagem.”

    5. Aluguel de carro: Essa é uma decisão importante para se tomar em toda viagem. Eu sou a maior fã de se alugar carro na maioria das viagens, quem me acompanha há mais tempo por aqui sabe disso. Mas confesso que nessa ficamos em dúvida por conta da quantidade de relatos na internet sobre a corrupção da polícia mexicana que parava carros de turistas e pediam propina. Enfim, mesmo assim avaliamos os prós e os contras de se alugar o carro e decidimos alugar até mesmo porque nós dividimos nossa viagem entre Cancun e Playa del Carmen (vou falar no próximo tópico), então isso facilitaria o deslocamento. E graças a Deus foi bem tranquilo. 

Então seguem algumas dicas para evitar ser parado pela polícia mexicana: Sempre preste muita atenção na velocidade máxima permitida na via (as vezes numa mesma via a velocidade pode mudar drasticamente, ou se você em algum momento vai para a pista do canto para virar a esquerda ou direita a velocidade pode ser outra, veja as placas) e dirija sempre um pouco abaixo dela. Se víamos que máxima era 80km a gente dirigia a 70km e assim por diante…rs. O resto é seguir as regras que trânsito que sempre devem ser obedecidas né? Cinto sempre, não dirigir se tiver bebido, estar sempre com o passaporte e o documento do carro (confira com a locadora), parar no sinal vermelho (a gente parava no amarelo pra garantir sempre, ultrapassar corretamente. E pronto. Passamos por diversas “blitz” e não fomos parados em nenhuma. Dizem que eles costumam parar muito turista porque a placa dos carros alugados é diferente da placa dos locais. Confesso que não consegui identificar a diferença não. 

Uma das coisas mais importantes também é não estacionar em locais que não sejam próprios (calçadas, ruas mesmo que pareçam desertas e residenciais etc). Existem alguns estacionamentos privativos espalhados pela cidade e estacionamento na rua só é permitido nos locais onde há parquímetro. E então, o funcionamento do parquímetro é bem parecido com o dos EUA. Tenho um vídeo do parquímetro dos EUA no canal do Youtube. Isso é sério! Enquanto caminhávamos pelo centrinho de Playa vimos vários carros que a polícia tinha colocado uma trava na roda pra pessoa não conseguir dirigir. Imagina o transtorno no meio da viagem.

Para a viagem nós alugamos o carro com a RentCars como sempre! Os preços são muito bons e o diferencial: você pode optar por pagar em reais ainda aqui no Brasil. Isso ajuda muito porque você não corre aquele risco de pegar um dólar super alto na hora do pagamento no cartão de crédito!

Reserve seu carro com a RentCars clicando neste link. Você não paga nada a mais por isso e nós recebemos uma comissão! Agradecemos a preferência!

      6. Onde se hospedar em sua viagem para Cancun – Bom, para decidir isso, primeiro você precisa saber o que você realmente deseja de sua viagem e entender um pouco o mapa de Cancun e a localização das praias e tudo o mais. 

Nosso hotel em Cancun

A região conhecida como “Cancun” por todos engloba mais do que a própria Cancun em si, mas sim toda essa famosa orla da região de Quintana Roo que vai desde a Zona Hoteleira de Cancun, na Cancun propriamente dita lá em cima, passando pela Riviera Maia, Playa del Carmen até chegar em Tulum. E em qualquer uma dessas regiões você estará bem servido em questões de hospedagem, mas elas tem características bem diferentes. 

Você pode ver Cancun, Playa del Carmen, Tulum e Ilha de Cozumel nesse mapinha

Na Zona Hoteleira de Cancun você encontrará os grandes resorts e praias de um azul surreal a poucos metros de um centro com restaurantes, lojinhas, feira de artesanato e as famosas boates de lá pra quem curte. 

Na Riviera Maia (entre Cancun e Playa del Carmen) você encontra os resorts mais afastados do centro com boa infraestrutura, all inclusive e praias com ondas um pouco mais fortes.

Em Playa del Carmen tem alguns poucos resorts e prevalecem as pousadas e hotéis pequenos. Com um centrinho bem parecido com Buzios no Rio ou Pipa em Natal, o que você preferir com lojas de marcas famosas e outras locais, artesanato, restaurantes legais, sorveterias, muito bom para footing noturno. Pra quem quer visitar os parques do grupo Xcaret e Chichen Itzá essa é uma das melhores localizações porque ficam bem mais perto de Playa. 

Em Tulum o clima já é mais rústico e com clima mais zen. Tem algumas praias privadas por conta dos hotéis da orla e o centro é menos movimentado. 

Centrinho buziano de Playa del Carmen

Bom, como nós queríamos conhecer a famosa Cancun com seu azul cristalino mas ao mesmo tempo também queríamos visitar os parques (pelo menos 2) e ir até Chichen Itzá optamos por dividir nossa estadia entre Cancun e Playa del Carmen. Ficamos 4 dias em Playa no One Playa del Carmen e 4 dias em Cancun no Krystal Cancun

O One Playa del Carmen é um hotel super basicão, estilo Ibis, e fica bem pertinho da Quinta Avenida que é a rua principal de praia. Dá pra ir a pé (duas quadras) mas ao mesmo tempo fica longe o suficiente pra não ouvirmos a barulheira da rua na hora de dormir. O café é bem fraco, mas foi suficiente para os dias que ficamos. Se você for com as expectativas certas pode ser bem ok. 

O Krystal Cancun é um dos resorts mais em conta da Zona Hoteleira. Tem uma infra muito boa, fica em frente a um dos cantinhos de praia onde a água é mais calminha e você pode optar pelo all inclusive ou não. Nós não quisemos o all inclusive apesar de termos almoçado todos os dias no hotel, mas porque nós saíamos para jantar. E optamos por isso para não termos que ficar presos por já termos gasto com o all inclusive, entende? Então pagamos o hotel apenas com café da manhã. E foi ótimo, você pode pagar o almoço diretamente nos restaurantes sempre que almoçar lá e quando não quiser estará livre para comer nos outros restaurantes da região. 

Se quiser saber mais detalhes sobre nossa hospedagem no México acesse esse post: Onde se hospedar no Caribe Mexicano: Cancun ou Playa del Carmen?

Faça sua reserva pelo Booking acessando nossos links acima ou clicando aqui! Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter nosso blog ativo!

      7. Seguro Viagem: Já escolheu o seu? Bom, nas nossas viagens internacionais sempre fazemos o seguro. Mas não posso dar muitas dicas se eles são bons ou não pois graças à Deus não precisamos usá-los até hoje. Se viajar durante a fase de reabertura é extremamente importante incluir cobertura para despesas em caso de coronavírus (leia atentamente a cobertura). Não esqueça de incluir cobertura em caso de extravio de bagagem. As vezes só aumenta um pouquinho o valor e te ajuda com o prejuízo. 

      9. Que moeda levar para Cancun – Em vários lugares nós encontramos dicas dizendo que a melhor moeda para levar para Cancun eram dólares, pois além de serem aceitos em praticamente todos os lugares tinham melhor cotação. Isso até poderia ser uma verdade antes do dólar estar tão alto. Mas a verdade é que, apesar, de realmente, praticamente todos os lugares em que fomos realmente aceitarem dólares (exceto pedágios e Chichen Itzá) tanto em Playa quanto Cancun, o preço base de tudo deles é sempre em pesos mexicanos e eles fazem a conversão na cotação que dá na cabeça deles, que normalmente é sempre muito mais baixa do que a cotação das casas de câmbio. Então assim, levar dólares é realmente melhor pra trocar por pesos mexicanos lá (a cotação do peso mexicano no Brasil também não é boa), mas assim que chegar já troque uma parte por pesos mexicanos numa casa de câmbio onde encontre uma boa cotação. Por incrível que pareça, as casas de câmbio onde encontramos as melhores cotações foram a do aeroporto e uma no centrinho de Playa del Carmen. Os bancos em Playa também tinham boas cotações mas como saímos para os passeios nunca conseguimos pegá-los abertos no horário que chegávamos por lá. 

O que fazer em Cancun e Playa del Carmen?

  Como falei pra vocês nós fomos até Cancun durante a fase de reabertura da pandemia então fizemos um roteiro bem diferente do que faríamos se tivéssemos ido em períodos normais. Então, optei por colocar aqui o nosso roteiro completo, e vez das atrações em separado e ao final coloco alguns lugares que costumam estar no roteiro de quem vai a Cancun mas que nós não fizemos nesta viagem e aí você poderá decidir se vale a pena incluir na sua viagem também, beleza?

Roteiro em Playa del Carmen e Cancun

Primeiro dia: Dia da Chegada. Hospedagem em Playa del Carmen. Chegamos no hotel por volta das 15h. Costumo deixar o primeiro dia bem livre para não termos stress caso aconteça algum atraso com o vôo ou outras questões. E é sempre bom deixar esse dia mais tranquilo mesmo para se ambientar, conhecer o local, procurar um mercado para abastecer o frigobar, e descansar cedo pra adaptar o corpo ao fuso horário! Não parece não, mas até 2 horinhas de fuso fazem muita diferença. E é importante estar inteiro para curtir bastante a viagem. 

Então, nesse dia fomos até a Quinta Avenida de Playa que é super fofa e muito movimentadinha.

Caveirinhas (um dos símbolos das festividades mexicanas e que você mais irá ver por lá) no Centrinho de Playa
Shopping Quinta Alegría na Quinta Avenida em Playa

É na Praça principal dela, perto do terminal marítimo que fica o monumento e a famosa plaquinha de Playa del Carmen. Tem diversas lojas famosas e lojinhas legais com artigos de artesanato mexicano, restaurantes tranquilos e outros mais badalados, sorveterias. É um charme.

Famosa placa de Playa, bem na pracinha principal

Escolhemos um restaurante italiano para comer no primeiro dia. Primeiro para não ter erro e segundo porque estava bem mais vazio. Acesse esse post com dicas de Onde comer em Playa del Carmen e Cancun. 

Aproveitamos para passar no Walmart que é praticamente do lado do One Hotel para comprar água, frutinhas e alguns snacks para os outros dias que seriam pauleira: 2 parques e uma ida a Chichen Itzá. 

Segundo dia: Ida ao Xel-há. Nossa ida aos parques do grupo Xcaret foi um dos motivos de nossa escolha pela hospedagem dividida. Eles são bem mais próximos de Playa del Carmen. Estar hospedado por lá nos economizou quase 1 hora de deslocamento que teríamos que fazer se estivéssemos hospedados em Cancun. Escolhemos visitar dois dos parques: o Xel-há e o mais famoso que é o que leva o nome do grupo: o Xcaret. Optamos por colocar o Xel -há primeiro pois ele fecha mais cedo e não tem o show de encerramento igual o Xcaret e como no terceiro dia separamos para ir a Chichen Itzá que é longe estaríamos mais descansados. 

Bom, eu até comentei nos destaques do stories do nosso Instagram que uns amigos, antes de viajarmos, nos disseram que valia muito a pena ir nesses parques pois eles tinham “padrão Disney”. Comentei que era um perigo falar isso logo pra mim que sou palestrante sobre modelo Disney e uma fã de carteirinha da empresa….hehe. Já imaginam que fui com a expectativa alta né?

Bom,só sei que fui positivamente surpreendida. Os parques realmente são incríveis. Eles falam de padrão Disney mas na verdade eles são mais parecidos com o estilo do Discovery Cove. São limpos e com atrações incríveis. 

Parque maravilhoso!

Especificamente sobre o Xel-há ele tem algumas atrações diferentes do Xcaret: como o tobogã gigante, os cenotes e atrações radicais como tirolesas, arvorismo etc. E essas são as incluídas no pacote. Se você quiser ainda pode incluir outras como mergulho, nado com golfinhos, passeio de lancha e outras. 

Olhem o tobogã gigante lá ao fundo!

Para saber mais sobre nossa experiência no Xel-há e no Xcaret acesse este post e para saber as diferenças entre os 2 acesse esse post. 

À noite jantamos no centrinho da Quinta Avenida e nos preparamos para a nossa ida a Chichen Itzá no dia seguinte. 

Terceiro dia: Ida a Chichen Itzá. Gente, agora falando sério: não dá pra ir a Cancun e não separar pelo menos 1 dia da sua viagem para conhecer essa que é uma das 7 Maravilhas do Mundo Moderno. Saímos do hotel relativamente cedo e pegamos a estrada para lá. Vimos em vários blogs que a estrada, apesar de longa (são aproximadamente 2h30 de Playa ate Chichen Itzá, se você estiver em Cancun aumente pelo menos mais 1 hora) era boa e tranquila. Mas, infelizmente, pegamos a estrada com muitas e muitas obras, cheias de alterações de pistas, bifurcações e isso acabou atrasando um pouquinho mais nossa chegada. Mas enfim. É super fácil de chegar e se estiver de carro alugado não precisa de passeio pra isso. É só colocar no Waze o endereço da Pirâmide Kukulcan (achamos melhor do que escrever só Chichen Itzá porque estava mandando para outro lugar), mas quando vai chegando mais próximo começam a aparecer as placas indicando. 

Vi no site deles também que o local tem estacionamento e pago por fora. Ao chegarmos lá na rua que era pra entrar no estacionamento ela estava fechada e um dos funcionários informou que ele já estava lotado e que poderíamos colocar em outro estacionamento privativo próximo. Nós tínhamos visto na internet que tinham muitos “espertinhos na região” que te abordavam pra você estacionar no caminho fingindo ser funcionário do local para te enrolar e confesso que achei que era mentira, mas como não tinha como passar porque tinham fechado a rua não tínhamos muito o que fazer. Vimos muitas pessoas estacionando na rua mesmo e com muitos caras cobrando por isso (achei um absurdo, até mesmo porque falei pra vocês da polícia né, com certeza eles poderiam multar aqueles carros). Então, estacionamos no estacionamento privativo que o funcionário tinha indicado.

Ele acabou saindo mais barato mas foi um pequeno transtorno pois tivemos que andar quase 1km a pé até a entrada do parque e gente: lá é muitooo quente!!! Sério! Então anotem as dicas abaixo para irem a Chichen itzá preparados como nós:

  • Levem chapéu, boné, protetor solar, repelente e água gelada!
  • Separem dinheiro em pesos! Tanto os pedágios no caminho quanto uma parte do ingresso (falarei abaixo) só podem ser pagos em dinheiro e em pesos mexicanos. 
  • Não parem o carro em qualquer pessoa na estrada quando estiverem chegando mesmo que pareçam uniformizadas. Vão até o máximo que puderem perto da entrada da Zona arqueológica que te for permitido. Se o estacionamento tiver vagas a rua final até a entrada estará aberta. 

Bom, ao chegar na bilheteria já separe o valor para pagamento. A parte do ingresso de entrada você pode pagar no cartão de crédito se quiser. Mas a parte do imposto do governo você precisa pagar em pesos mexicanos e em dinheiro. Nós fizemos isso. Então, pra você se preparar você irá gastar mais ou menos uns 650 pesos com pedágio (ida e volta) + a parte do imposto também em pesos (é bom ver o valor atualizado no site deles antes de ir). Se quiser pagar a parte do ingresso também em pesos e em dinheiro some isso também.

O valor total do ingresso estava 533 pesos mexicanos por pessoa. 453 pesos para entrada e 80 pesos o imposto que tem que ser pago em dinheiro (peso mexicano, não pode ser pago em dólar).

Uma observação: Você só pode entrar com câmera fotográfica. Se quiser entrar com câmeras de vídeo terá que pagar uma taxa extra. Se não pagar terá que deixar lá fora nuns guarda volumes que são pagos por fora também. Nesse dia levei minha câmera fotográfica mas tinha esquecido a bateria (aff), então só entrei com celular mesmo e não tive problemas, deixamos a câmera no carro.

Na entrada terão diversos guias oferecendo seus serviços para acompanhar vocês e explicar um pouco da história de cada monumento. Esses guias não são do parque, são autônomos. Se você quiser contratá-los pode negociar diretamente com eles o valor. Eu não quis, primeiro porque raramente encontraríamos algum que falasse português, ou seja, eles iam falar em espanhol ou inglês rápido pra caramba, e eu já tinha visto algumas pessoas na internet comentando que enquanto eles estão fazendo as explicações eles não dão tempo para fotos. Ou seja, você tem que fazer o tour no parque todo só com eles explicando e depois voltar pra fazer suas fotos. Lá é quente demais pra isso…dar a voltar no lugar 2 vezes??!!! Eu já me interesso por estudar tudo da viagem antes de viajar sempre e principalmente antes de entrar em museus e locais históricos então eu já tinha estudado tudo, logo, eu mesma fui a guia do meu marido e não gastamos nada a mais por isso e ainda fazíamos nossas fotos em paz! Heheheheheh

A famosa Pirâmide Kukulcán

Durante toda a visita você encontrará barraquinhas com produtos de artesanato, lembrancinhas etc. Mas os vendedores são bem chatinhos e insistentes (vocês sabem como sou com atendimento né?) então acabei não tendo muita paciência pra comprar nada lá, apesar de ter visto bastante coisa legal….fora que eu já falei que tava muitoooo quente? Já né? Heheh 

Colunas do Templo dos Mil Guerreiros

Fizemos toda a visita e confesso que teve uma hora que ainda faltavam uns 2 monumentos pra visitar e eu já não aguentava mais de tanto calor mesmo bebendo muita água. Mas fomos até o final e vimos tudo. 

Essa pirâmide é linda de todos os ângulos possíveis!

Acesse esse post completo com detalhes: Vale a pena ir a Chichen Itzá?

Saímos de lá e chegamos no finalzinho da tarde em Playa para tomar um banho maravilhoso e irmos jantar. Se a praia de Playa estiver boa, é uma boa pedida dar uma paradinha pra mergulhar na chegada. Mas quando fomos estava com muito sargaço, muito muito mesmo. Então a gente só tomou banho no Hotel mesmo….hehe.

Praia de Playa no período que fomos com muito sargaço

No caminho para Chichen Itzá tem um cenote super famoso: o Cenote IK Kil que também pode ser uma ótima opção de parada antes de voltar se você estiver indo fora do período da pandemia. Não tenho muito como falar dessa experiência pois não fomos. Todas as vans cheias de agências de passeios estavam parando nesse cenote e já tínhamos visto que ele estava ficando lotado. Então optamos por não ir até lá. 

Ah e para quem não sabe, o cenotes são espécies de cavernas e grutas, ou apenas cavidades (no caso dos abertos) com lagos dentro. Eram comumente usados para rituais e/ou sacrifícios na civilização maia. Por esse motivo alguns são propícios para banho, mas outros não. É sempre bom pesquisar antes. 

Quarto dia: Dia de ir ao Xcaret. Esse é o parque mais famoso do grupo e é o que a maioria das pessoas escolhe para ir quando só tem como visitar apenas 1 parque.

O parque é simplesmente incrível! Essa é a área da praia do Parque

O parque é bem maior que o Xel-há e tem algumas atracões parecidas e outras bem diferente como o “rio subterrâneo”(nunca vi nada igual em nenhum outro lugar), a praia e o “Aviário” que é quase como o Parque das Aves em Foz do Iguaçu dentro de um parque. Achei esse parque incrível. Para ver sobre as diferenças entre o Xel há e o Xcaret acesse esse post

“Pozas Naturales”- uma descoberta incrível dentro do parque
Rios subterrâneos no Xcaret – nunca vi nada igual!

No final do dia tem um show que conta um pouco a história do povo mexicano, a civilização maia e um pouquinho da cultura de vários estados do México. Achei o show lindo! Mas confesso que depois de assistir quase 1h30 e perceber que parecia que só tava na metade nós fomos embora para jantar no centrinho de Playa e descansar. 

Quinto dia: Dia de fazer check-out em Playa e ir para o resort em Cancun. Mas, como o check-in lá só seria na parte da tarde aproveitamos a parte da manhã para conhecermos o Cenote Azul, pertinho do centro de Playa. E gente, foi um dos pontos altos da viagem. 

Não fomos a nenhum dos Cenotes mais famosos (Ik Kil, Gran Cenote, Cenote dos Ojos) pois vimos que os cenotes fechados (e todos esses são) estavam ficando lotados de vans de passeios. Fora que um outro motivo era o fato de eu não ser muito fã de morcegos e tem um pouco deles em todos esses cenotes. Então, pesquisamos um cenote aberto que pudesse estar mais vazio e gente, esse foi uma surpresa incrível! O cenote é lindo, a água de um azul cristalino. Não tenho outra palavra pra descrever, a não ser: espetacular!

Não tenho palavras pra descrever a beleza desse lugar!
Cenote Azul com esse pedacinho só pra gente!
Ainda sem palavras pra visibilidade dessa água!

De lá almoçamos e fomos para o resort em Cancun. Fizemos o check-in e já fomos curtir a piscina. A noite saímos para conhecer a Zona Hoteleira que era super pertinho do nosso hotel a pé, mas estava impossível de tão cheia. Conseguimos encontrar um restaurante mais tranquilo pra comer e voltamos pro hotel.

Piscina e praia na porta! Não queria outra vida!

Bom, se você estiver indo fora do período da pandemia e gostar de noites badaladas esse é o lugar. Tem baladas de todos os tipos, restaurantes com música ao vivo, DJ. Não é muito a minha praia. Prefiro lugares mais tranquilos pra jantar. É lá também que fica a famosa Coco Bongo, casa de show que ficou conhecida por conta da cena do filme do Máscara. Essa não é só uma balada, tem vários shows com diversas apresentações de covers do Mickel Jackson, Bruno Mars e até uma parte de música brasileira. Essa até visitaríamos mas nesse período não dava mesmo. Lugar fechado e cheia demais mesmo não lotando a capacidade máxima. 

Zona Hoteleira de dia, quando dava pra andar sem aglomerações

Do sexto ao oitavo dia: Não tenho muito o que dizer de roteiro sobre esses dias. Estar num resort com infra, uma piscina enorme em frente a uma praia maravilhosa com azul neon. Ficamos só revezando entre piscina e praia nesses três dias. Iríamos até Isla Mujeres mas as opções que tínhamos para ir eram: passeio de catamarã ou as barcas da Ultramar. Não quisemos arriscar de ir de barco pra lá no meio na pandemia com as pessoas tirando máscara. E acabamos optando por ficar no hotel mesmo.

Praia maravilhosa em frente ao Hotel
Orlinha. Nós caminhamos pela praia até chegar em hoteis mais distantes!

Caminhávamos na praia e descobríamos cantinhos lindos todo dia. 

E um dos dias fomos de tardinha na Zona Hoteleira antes que o “fervo” começasse e conseguimos conhecer o mini shopping que tem ali em cima do Hard Rock (que estava fechado), tomar um sorvete na Haagen Das e ver as muitas lojinhas.

Mini galeria na Zona Hoteleira. Fica bem mais movimentada a noite.

Fomos até o Outlet Mexicano que é um Mercado de artesanato ali pertinho da Zona Hoteleira onde experimentamos o famoso chocolate maia, e compramos das melhores pimentas mexicanas pra trazer de lembrança. Tem muita coisa legal nele também. Compramos um potinho de sal de vanilla maravilhoso. 

Outlet de artesanato mexicano. Bem pertinho da Zona Hoteleira

Numa das tardes também aproveitamos para conhecer o Shopping La Isla, o mais famosinho da região por ser super super lindo com seus canais maravilhosos! Ele tem um estilo de outlet americano, a céu aberto, com várias lojas de marcas famosas, alguns restaurantes na beira do píer e ainda um aquário que também tem atrações com golfinhos. Só tome cuidado com lago porque posteriormente descobrimos que ele tem crocodilos. Não deixe de ler nosso post sobre “Onde comer   em Cancun e Playa del Carmen” pra saber como descobrimos isso. Quem viu nossos destaques no Instagram já sabe! Hehe.

Shopping La Isla com seus canais “venezianos”
Esse shopping é todo lindinho
Não teria chegado tão perto desse lago se já soubesse dos crocodilos kkkkkk
Roda gigante no shopping La Isla

Tem vários outros lugares que você poderá conhecer se tiver mais dias e estiver visitando fora do período da pandemia, como:

Zona Arqueológica de Tulum: Também fica próximo a Playa. Não visitamos pois como já iríamos a Chichen Itzá preferimos escolher visitar 2 parques do grupo Xcaret. Mas todos que vão dizem que a vista para a praia é lindíssima.

Praias de Tulum: Lindas e são menos urbanas. Mas como a região de Playa e consequentemente uma parte de Tulum estava com muito sargaço não fomos. Só pegamos praia estilho caribenho muito com azul neon em Cancun. Verifique se no período da sua viagem as praias estarão sem sargaço. Se estiverem você pode incluir na sua visita.

Isla de Cozumel e Isla Mujeres: As ilhas mais famosas da região. Cada uma com suas particularidades. Cozumel maior e cheia de atracões e praias. Isla Mujeres menor, com o famoso passeio de carrinho de golfe, águas cristalinas e a famosa Playa Norte. Não fomos para evitar os catamarãs cheios, mas você pode escolher uma delas para o seu roteiro ou quem sabe as duas. Eu confesso também que quando vi a praia de Isla Mujeres nas fotos e olhei pra foto da praia do nosso hotel em Cancun achei parecida e lá no hotel eu tinha menos perrengue. Tinha cadeiras disponíveis para os hospedes, com serviço e atendimento e a facilidade e ter o quarto para qualquer coisa a poucos metros de distância. Verdade, fiquei mal acostumada e não quis sair de lá mesmo…hehe.

Cenotes fechados: Se não ligar para os morcegos você pode incluir esses cenotes incríveis na sua visita também – Gran Cenote, Ik Kil, Cenote dos Ojos, Tak be Ha. 

Espero que tenham curtido nosso roteiro e que te ajude a montar sua viagem!

Leia também nossos posts:

Se você ainda não me segue no Instagram, siga lá: @priscilajardim_

Gostou desse blog? Reserve com nossos parceiros clicando nos links abaixo e nos ajude com uma pequena comissão!

Passagens áreas com o Passagens Promo
Hospedagem com o Booking.com
Aluguel de Carro com a Rentcars
Seguros com a Seguros Promo
Não viaje para o exterior sem o chip da easysim4u

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s