Guarapari – roteiro de 3 dias pela cidade

Guarapari, conhecida como uma das cidades que possui algumas das melhores praias do Brasil, é destino de fim de semana de muitas pessoas que moram nas regiões próximas!

Há tempos que queríamos conhecer a cidade que fica a aproximadamente 480 km do Rio, ou seja, umas 6 horinhas de carro numa estrada bem tranquila!

Então, vou compartilhar com vocês nosso roteiro de final de semana!

Quando ir para Guarapari? Fomos no início de junho, que é baixa temporada, o que tem seus pontos positivos e negativos. Positivos: Praias mais vazias e pista tranquila e sem trânsito para a viagem. Os pontos negativos é que o centrinho da cidade fica bem mortinho à noite, muitas lojas e restaurantes fechados, poucas pessoas na Orla e a feirinha de artesanato funciona em poucos dias e horários. A cidade fica um pouco mais apagada, mas nada que tire a sua beleza. Os donos das lojas dizem que no verão é que a cidade bomba, e pelas fotos que vimos em alguns blogs é verdade. A mesma praia que fomose estava relativamente vazia estava entupida de gente em uma das fotos. Então, o período para ir vai depender de suas preferências. Mesmo no outono nós pegamos o final de semana inteiro de sol e só a noite que esfriava um pouquinho.

Onde ficar em Guarapari? – Bom, se você quiser ficar mais próximo do centrinho e ter algum movimento noturno para andar a pé o melhor é ficar em um dos hotéis próximos à Praia das Castanheiras, que foi onde ficamos. Na sua orla você encontra diversos restaurantes, sorveterias, além da feirinha de artesanato e um mercado. Na rua de trás está todo o centro comercial com lojas, bancos, farmácias etc. Algumas pessoas gostam de se hospedar perto da Praia da Bacutia (melhor praia). Pode até ser uma boa na alta temporada, mas na baixa temporada achamos que a região parece uma cidade fantasma…hehe. O benefício é a proximidade da praia mesmo, que é maravilhosa! Outra opção é se hospedar em algum dos hotéis que ficam na orla da Praia do Morro. A orla de lá é super movimentada, com pessoas caminhando e praticando esportes, tem diversos restaurantes, lojas, etc. Fora que a praia também é linda e é daquelas com faixa de areia grande.

Faça sua reserva pelo Booking clicando neste link! Você não paga nada a mais por isso e ajuda a manter este blog ativo!

O que fazer em Guarapari em 3 dias?

Como a proposta é de visitar a cidade em um final de semana segue um roteirinho básico de como curtir o máximo em apenas 3 dias:

1º dia – No primeiro dia saímos bem cedo do Rio de Janeiro e paramos para almoçar na estrada mesmo. Chegamos em Guarapari por volta das 15h. Fizemos o check-in no hotel e logo partimos para conhecer os principais pontos turísticos da cidade.

Fizemos a caminhada completa pela Orla. Passamos pela Praia da Areia Preta, que tem esse nome pois sua areia é monazítica. Dizem que possui efeitos curativos para artrite. Não fui lá testar (hehe) mas você pode presenciar algumas pessoas cobertas de areia nessa praia. É no deck dessa praia que fica a plaquinha com o nome da cidade.

20190531_161204
Tá escura mas tá valendo!

Caminhando mais um pouco você chega na Praia das Castanheiras, que é uma praia lindaaaa, e uma das que ficam mais cheias na temporada. Porém é necessário um pouco de cuidado pois ela tem muitas pedras e na maré alta a água cobre essas pedras. Quem não conhece pode acabar se machucando. Apenas fique atento.

DSC_0397-2
Praia das Castanheiras

Andando mais um pouco pela Orla você chega na Praia dos Namorados, uma das favoritas do pessoal da região.

DSC_0408
Deck na Praia dos Namorados. Moradores dizem ser raro encontrá-la assim vazia!

Mas nós paramos mesmo foi na Praia das Virtudes, que fica um pouco mais a frente. Ela tem esse nome pois conta-se que antigamente as freiras usavam essa praia para banharem-se. Ela tem uma faixa de areia curtinha mas é muito lindinha!

DSC_0419
Praia das Virtudes vista do alto
DSC_0442-2
Vendo se a água estava gelada! Estava sim..hehe

Você ainda pode sair dali e ir até a Igreja de Nossa Senhora da Conceição em Guarapari, que é uma marco da presença jesuítica na cidade. Não fomos até ela pois a hora já estava avançada e a rua estava bastante deserta.

A noite caminhamos pela Orla das Castanheiras, passamos pelo Beco da Fome mas só tinha um restaurante aberto lá. Então, optamos por ir até o restaurante Na chapa, que fica bem no cantinho esquerdo da praia e com uma boa vista. A comida é razoável, mas achamos o preço bem salgado. Mas era uma das poucas opções a pé por ali.

2º Dia – Fomos na parte da manhã até a Praia da Bacutia. A idéia era ir até a Praia dos Padres, mas o acesso antigo que vimos em alguns blogs (indo pelo estacionamento demarcado no Waze ao colocar o nome da praia) não está mais disponível, por que é propriedade particular. Para chegar até ela você precisa ir até a Pousada Enseada do Corsário, estacionar ali perto e descer a pé por lá. Acabamos ficando na praia da Bacutia mesmo e amamos! A praia é maravilhosa, super limpa, linda, e sem muitas ondas.

20190601_093636
Olhem que fofo esse caminhozinho para chegar na Praia da Bacutia!
DSC_0486
Simplesmente amei essa praia!
DSC_0482
Olhem isso!

Ali perto, além da Praia dos Padres tem ainda a Praia da Peracanga que também é linda. É só escolher qual você prefere ficar. A de Peracanga é a que possui a maior faixa de areia.

De lá fomos até a Praia de Meaípe, mas apenas para almoçar no Restaurante Gaeta, conhecido por fazer a melhor moqueca capixaba do Brasil. E realmente valeu muito a pena. O restaurante é caro, mas é maravilhoso. Para amenizar a conta pedimos apenas meia moqueca pois a menina que nos atendeu informou que a moqueca inteira servia tranquilamente 4 pessoas. E meia moqueca realmente foi suficiente para nós dois. É super bem servida. Além disso, eles ofereceram uns camarõezinhos de entrada e uma torta de côco deliciosa de sobremesa (tudo cortesia). Valeu super a pena. Afinal, você não pode ir embora do Espírito Santo sem experimentar a moqueca capixaba.

20190601_123512
Praia de Meaípe
20190601_140601
Olha a placa explicando sobre a areia monazítica! A mais famosa é a da Areia Preta. Mas dizem que a de Meaípe também tem!
20190601_132233
E essa moqueca do Gaeta!!!! Maravilhosa!

De lá fomos conhecer outra região da cidade. Afinal, Guarapari é conhecida por suas praias mas também possui ótimas cachoeiras. Fomos até a Cachoeira de Buenos Aires. Bom, quanto a isso tenho algumas colocações antes de continuar: Primeiro, se resolver incluir esta cachoeira no seu roteiro, não deixe para a parte da tarde como nós fizemos…faça ela na parte da manhã e deixe para fazer a praia na parte da tarde. Fica pouquíssimo movimentado lá na parte da tarde e o lugar é muito ruim para chegar, então ir tarde é muito ruim pois é bem longe. Quando chegamos lá não tinha mais sol nenhum e a água era gelada demais (como em qualquer cachoeira), então, não aproveitamos quase nada.

Dito isso vamos lá. Se resolver ir até a Cachoeira primeiro coloque no Waze o Mirante do Elefante e dê uma paradinha lá para tirar uma foto com essa pedra linda. Eu achei que realmente parece um elefante, e você?

DSC_0536DSC_0546

Depois, ao sair de lá, você pode até colocar “Cachoeira Buenos Aires” no waze mas não siga a rota completa dele porque ela não dá em lugar nenhum (experiência própria..hehe). Siga a rota até chegar em um lugar que pareça um centrinho de cidade. Quando chegar nesse centrinho (é o único lugar que parece um centrinho, você saberá quando chegar), você estará no centro de Buenos Aires, então procure alguém para se informar como faz para chegar na cachoeira, pois não é muito bem sinalizado. Eles vão te indicar o local. Ao chegar na rua que te falarem você verá uma placa (que era quase impossível de ver na estrada) escrito “cachoeira”. Siga pela estrada até encontrar uma outra placa como essa indicando virar a direita. Você vai passar por um ponte horrorosa e seguir por uma estrada de barro muito muito muito ruim. Após 2 km você chegará no estacionamento do Sítio Nasser. Lá eles vão te dar a orientação de como chegar na trilha que leva até a cachoeira. Você terá que atravessar um rio em cima de uma tábua de madeira. Por isso não recomendo ir com crianças e nem com idosos. Como a cachoeira fica em local privado os donos “cobram” uma pequena taxa de 5 reais por pessoa, mas dizem que você pode ficar a vontade em dar outro valor, se quiser. A cachoeira é linda mas possui pouco espaço para ficar ao redor. Se tivéssemos ido de manhã talvez teríamos aproveitado mais, mas como fomos muito tarde (é tão longe que chegamos lá quase 16h30) já não tinha sol, água muito gelada e só tínhamos nós e outra família por lá. Quando a família foi embora (aproximadamente 1 hora depois) também fomos pois achamos o local bem deserto. Se soubesse que era tão longe, teríamos visitado outra praia mesmo. Para você ter uma idéia: para chegar ao mirante, você leva aproximadamente 40 minutos de lá do centro de guarapari. Some mais 15 minutos até o centrinho de Buenos Aires e mais uns 30 minutos (por conta da estrada muito ruim) até o Sítio Nasser. Além disso, ainda tem os 5 ou 10 minutinhos da trilha. Então, avalie se vale a pena ir ate lá. Se curtir muito cachoeira, acho que o melhor é ir de manhã. Aí você pode fazer este roteiro ao inverso. Ir de manhã na cachoeira, sair de lá e almoçar em Meaípe e depois finalizar a tarde na praia da Bacutia ou alguma das outras que ficam próximas. 

DSC_0570
Cachoeira de Buenos Aires. Linda, mas bem distante!

Voltamos da cachoeira e fomos tomar um café no Café com Churros que fica pertinho do Na Chapa ali na praia das Castanheiras. Eles fazem churros deliciosos para tomar com os diversos tipos de cafés disponíveis no local!

20190602_165038.jpg

De lá fomos até a Feirinha de artesanato que fica próxima a praia da Areia da Preta. Chegamos a ir até ela no primeiro dia mas como era uma sexta-feira, em baixa temporada, estava fechada. Então voltamos no sábado. Estava super movimentada. Tem várias barraquinhas de artesanato para comprar lembrancinhas, além de diversas opções de lanches e ainda estava tendo show de forró que estava bem animado. Para quem curte é uma boa.

A Feirinha fica em frente às Ruínas do Radium Hotel que era um antigo cassino super chique há anos atrás antes dos jogos serem proibidos no Brasil. Hoje, ele também é um dos pontos turísticos da cidade e mantém algumas atividades para os moradores. Passamos lá e vimos uma aula de capoeira para crianças.

20190531_160635
Antigo cassino Radium Hotel. A feirinha fica bem ao lado!

À noite já estávamos exaustos e só saímos para tomar uma sopinha na Sonho de Mel, que é uma lanchonete ali perto do Beco da Fome que vive cheia mesmo na baixa temporada. Ela oferece lanches o dia todo e uns caldinhos. Eram bem servidos e estavam bem gostosos. Se quiser jantar de verdade você pode ir até a Casa Marracini, um dos melhores restaurantes da cidade, com base em avaliações de outros blogueiros. Iríamos nele no dia seguinte, que era uma domingo, e nos surpreendemos pois estava fechado…hehe. Acabamos não conseguindo visitar.

3º dia – No terceiro dia acordamos cedo e fomos até a Praia do Morro para visitar o Parque Municipal Morro da Pescaria. No caminho você pode dar uma parada na Orla da Prainha de Muquiçaba para tirar a foto da estátua de São Pedro que foi construída bem no meio da água numa pequena ilhota. Estacionamos na orla da Praia do Morro e fomos direto ao Parque que fica no cantinho esquerdo da praia. Ele possui entrada paga (4 reais por pessoa, preço de junho de 2019), e dá acesso à um mirante e duas praias por meio de trilhas leves.

20190602_095010.jpg
Entrada do Parque
DSC_0587-2
Antes de chegar na entrada que coloquei acima, você já tem essa vista!

Caminhamos até o primeiro mirante onde temos a vista de toda a orla da Praia do Morro, lindo.

DSC_0610
Mirante dentro do Parque

DSC_0611

De lá, seguimos a trilha até a última praia que é a Praia do Ermitão. A praia é linda, mas a água estava um pouco suja. Acho que como o parque é pago poderia, ao menos, cuidar um pouco melhor das praias, catando as folhas e lixos. Mas apelo pela consciência das pessoas, também né? Uma praia linda dessa e estava cheia de garrafas e copos de plástico, papel, sacos de biscoitos. Muito triste que as pessoas vão até um local como esse para sujar o meio ambiente. 

DSC_0627
Fim da trilha e chegada na Praia do Ermitão. Ali tem uma pequena lanchonete que vende almoço, bebidas e possui banheiro gratuito apenas para clientes.
DSC_0632
Praia do Ermitão

No canto direito da praia tem diversas pedras lindíssimas e com uma vista linda para uma outra praia. As ondas as vezes ficam bem fortes, não se arrisque muito nessas pedras se elas estiverem batendo muito.

DSC_0653
Pedras no canto direito da Praia do Ermitão. Olhem que vista linda!!!
DSC_0658
Meu amor admirando a natureza divina!

De lá voltamos para pegar a trilha  que vai até a Praia da Areia Vermelha, que tem esse nome porque realmente tem a areia um pouco vermelha. Ela é linda mas tem uma faixa de areia bem curtinha e a onda estava puxando um pouco quando fomos, então só ficamos um pouquinho lá e saímos do parque voltando pelas trilhas.

DSC_0598
Praia da Areia Vermelha vista lá de cima daquele primeiro Mirante que eu falei!
DSC_0679
Chegando na praia da Areia Vermelha! Olha a cor da areia colorida aí!

No entrada do parque tem uma placa com o mapinha das trilhas. Como não tem guia para o acompanhar o ideal é tirar uma foto desse mapa para se localizar lá dentro. Mas as trilhas são bem demarcadas, não tem como se perder. Lá dentro vimos a indicação de uma trilha que parecia ser mais difícil mas nós não a fizemos.

Almoçamos ali na orla mesmo, e de lá fomos até a Praia de Setiba, que dizem ter o pôr do sol mais lindo de Guarapari, porém ela estava tão cheia que desistimos e fomos novamente até a praia que mais gostamos que foi a Praia da Bacutia…hehe. Mas no seu roteiro você pode incluir a Praia de Setiba (caso não ligue para a lotação) ou ficar na Praia do Morro mesmo que dizem ter um pôr do sol lindo também. Ou então, fazer como nós e voltar na sua praia preferida! Dependendo de qual lugar escolher para ficar jante por perto e finalize sua viagem com a certeza de que vai querer voltar em outro final de semana!

Se tiver tempo ou não quiser incluir algum dos pontos acima em sua viagem uma outra opção é fazer um passeio de barco que te leve para conhecer as Três Ilhas. Elas são super famosas e realmente parecem lindas! Infelizmente não tivemos como fazer, mas todo mundo na região diz que vale muito a pena!

Bom pessoal, é isso!!! Existem diversos outros lugares para visitar em Guarapari, mas para 3 dias fiz um apanhado bem legal com diversas opções. Mas o mais importante que eu escolhi fazer nessa viagem foi “visitar” menos lugares e “permanecer” mais, curtindo as praias de verdade! Valeu muito!

Quer um post completo sobre o que fazer no Rio de Janeiro também?? É só acessar aqui!

Gostou desse blog? Reserve com nossos parceiros clicando nos links abaixo e nos ajude com uma pequena comissão!
Hospedagem com o Booking.com
Aluguel de Carro com a Rentcars
Seguros com a Seguros Promo
Chip Internacional com a easysim4u

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s